ADAPTAÇÃO DE LENTES DE CONTATO EM COMPLICAÇÃO NA CIRURGIA REFRATIVA
Sergey Cusato Jr
IBTPLC
lente de contato, optometria, cirirgia refrativa, complicações
  • Facebook ...
  • Twitter ...
  • LinkedIn ...

Conteúdo do artigo

sergey Cusato artigo.jpg

  A cirurgia refrativa é um dos meios de correção para pacientes com miopia, hipermetropia, astigmatismo e até a presbiopia.

   As cirurgias refrativas podem ser feita de 3 maneiras: o Lasik, Lasek e PRK. Os três métodos são muito parecidos e consistem no aplanamento da córnea a laser.

    O Lasik é um procedimento indicado para a correção da miopia, astigmatismo e hipermetropia. O termo LASIK vem do inglês, que significa Laser-Assisted in situ Keratomileusis. A cirurgia diminui a dependência de óculos ou lentes de contato, podendo inclusive dispensar o uso. Diferente das cirurgias LASEK e PRK, a cirurgia LASIK não faz ablação de superfície avançada, na qual se retira o epitélio da córnea. No entanto, em todas as três cirurgias é usado o mesmo laser, que trabalha para reesculpir a curvatura da córnea de acordo com o grau a ser tratado.

     Neste caso clínico apresenta-se o estudo de uma paciente do sexo feminino, dentista com complicações pós cirurgia a laser.
Na avaliação clinica foi observado múltiplas alterações na córnea encontrado estrias estromaes, flap cirúrgico aberto e o mais grave: aplanamento cirúrgico deslocado ou descentrado.

     Com isso a paciente apresentava AV. de 20/1000 20/800 pós cirurgia, aumento da PIO e Olho seco severo.
Realizado todos os exames  clinicos como na tabela abaixo iniciou protocolo clinico para adaptação de lentes de contato.

Tabela 1: Avaliação clinica da paciente.

OLHO DIREITO

OLHO ESQUERDO

BUT 5 seg

BUT 5 seg

Shirmer I 5/10

Shirmer I 5/18

Shirmer II 5/2

Shirmer II 5/3

AV 20/1000

AV 20/800

PIO pela manhã 15

PIO pela manhã 17

Ceratometria 42,39/42,66 172

Ceratometria  41,21/41,77 175

Wave Front RMS 0.020

Wave Front 0.035

Volk 78D Fundus Miopicus

Volk 78D Fundus Miopicus

Paquimetria 464

Paquimetria 438

       Devido o aplanamento excessivo da córnea pós cirurgia, a escolha da lente de contato é extremamente importante,  decidiu-se adaptar lentes com geometria inversa. Normalmente esse tipo de lente é RGP e os paciente que operam a córnea tem uma sensibilidade, neste caso em questão em decorrência das complicações relatadas anteriormente e expressadas na topografia como se pode observar na tabela 2.

Tabela 2: Topografia da paciente

Topografia Olho Direito

Topografia Olho Esquerdo

TOPO OD.jpg

TOPO OE.jpg

Wave Front Olho Direito

Wave Front Olho Esquerdo

WAVE OD.jpg

WAVE OE.jpg

       Outra complicação da cirurgia é o olho seco causando a ceratoconjuntivite seca. Esta desordem faz com que as glândulas lacrimais sejam obstruídas e não consigam produzir normalmente a secreção lacrimal, que tem a função de lubrificar o olho. Em consequência disso, estruturas importantes são afetadas, tais como a córnea e a conjuntiva, que se apresentam atrofiadas como podemos observar na imagem 1.

        

PLAP CIRURGIA.jpg

Figura 1: Imagem do olho da paciente apresentando Flap da cirurgia aberto e ceratite superficial.

       Com o  desenvolvimento cientifico e tecnológico, os fabricantes de lentes de contato juntamente com profissionais dedicados a pesquisa tem melhorado os desenhos das lentes para pacientes com complicações de córnea em cirurgia refrativa, no desenho abaixo a nova lente de geometria inversa.

LENTE DE CONTATO.jpg

Figura 2: Desenho da lente de contato adaptada a paciente.

Na tabela 3 constam os dados da lente de contato de geometria inversa prescrita para a paciente.

Tabela 3: Dados das novas lentes adaptada a paciente

C Base

Invertida

Abertura

Poder

Z      Optica

Invertida

Alinhamento

Abertura

OD

8,03

7,70

12,0

-4,00

6,0

2,0

2,0

0,8

OE

 8,23

7,03

8,15

-5,00

6,0

2,0

2,0

0,8

       Após adaptação de lentes de contato de geometria inversa como mostra a figura 3, a paciente teve uma resposta boa em relação a adaptação, reportando um pouco de desconforto, sendo necessário a manutenção com gotas de Hialuronato de sódio 1 mg/mL sem preservativo.
A paciente obteve AV de 20/20 em ambos os olho.

Olho Direito

Olho Esquerdo

LC OD.jpg

LC OE.jpg


 Figure 3: Imagem da córnea da paciente após adaptação de lentes de contato com geometria inversa

       O controle desse tipo de adaptação tem que ser rigoroso e importante fazermos as provas lacrimais em todos os controle, independente de qualque reclamação do paciente, logo na tabela numero 4 o controle do paciente.

1 dia

AV, Controle de Olho seco PIO

3 dias

AV, Controle de Olho seco PIO

5 dias

AV, Controle de Olho seco PIO

15 dias

AV, Controle de Olho seco PIO

30 dias

AV, Controle de Olho seco PIO

3 meses

AV, Controle de Olho seco, topografia de córnea PIO

6 meses

AV, Controle de Olho seco PIO

12 meses

AV, Controle de Olho seco PIO

       É sempre importante lembrar que as lentes de geometria inversa apresentam um quadro de fluorogramo distinto do habitual, sendo necessário dos colegas de profissão uma maior atenção primária de atendimento clinico em pacientes que apresentam alterações multifatorial.


Professor Sergey Cusato Jr OD MSc Vis Sci, FIACLE, FIBTPLC, ALOCM
Diretor do Instituto Brasileiro de Treinamento e Pesquisa em Lentes de Contato. 
Membro do Bord da Academia Latino Americana de Ortoqueratologia e Controle da Miopía. F.I.A.C.L.E International Association of Contact Lenses Educators. 
MBCLA British Contact Lens Association. MCLSA Contact Lens Society of America. MSLS. Scleral Lenses Association, MOAA Orthokeratology Academy of America.

REFERÊNCIAS
Ucakhan OO, Kanpolat A, Ozdemir O. Contact lens fitting for keratoconus after Intacs placement. Eye Contact Lens 2006;

 

 

Área dos membros