CERATOPATIA PONTEADA SUPERFICIAL ASSOCIADA AO USO DE LENTES DE CONTATO
SERGEY CUSATO JR
SERGEY CUSATO JR
OPTOMETRIA, PESQUISA, LENTES DE CONTATO
  • Facebook ...
  • Twitter ...
  • LinkedIn ...

Conteúdo do artigo

33333333.jpg  
Prof. Sergey Cusato Jr.

CERATOPATIA PONTEADA SUPERFICIAL ASSOCIADA AO USO DE LENTES DE CONTATO

Desde a descrição inicial dos conceitos básicos de Lentes de Contato trazidos por Leonardo da Vinci e René Descartes, esses dispositivos       Optométrico para a correção da visão passaram por inúmeras mudanças e avanços que incluem a utilização de novos materiais, desenhos e novas formas de adaptação. 
O que se sabe é que independente do material utilizado ou o desenho, a LC altera a fisiologia ocular. Geralmente essas alterações não são significativas, mas em algumas situações podem levar a complicações que variam de níveis leves até graves. 
O usuário de lentes de contato passa por adaptações, um processo contínuo e dinâmico, sujeito a alterações em qualquer momento por diversas razões, principalmente ligados a fatores ambientais. 
Por conta deste constante processo é de grande importância se identificar as mudanças que estão ocorrendo com o paciente para uma análise da aceitabilidade dessas condições ou se representam um caso mais grave sujeitos a outras medidas. 
Dentre as alterações corneanas em decorrência do uso de Lentes de Contato, a ceratopatia ponteada superficial é mais comumente conforme observada superficialmente na figura 1.

011.jpg
 Figura 1: Ceratite superficial em lente de contato ajustada 

Esta condição é consequência da lesão ou descamação precoce de grupos de células epiteliais. É provável que a principal causa seja o olho seco, porém outros motivos associados incluem desordens de origem mecânica, a síndrome da lente apertada, toxicidade dos conservantes utilizados, hipóxia, uso excessivo das lentes, em adaptações muito planas e em lentes com uma espessura excessiva como podemos observar na figura 2. 

001.jpg
Figura 2: Espessura da lente com a mesma espessura da córnea.

Figura 2: Espessura da lente com a mesma espessura da córnea.
Essas lesões epiteliais podem apresentar vários padrões distintos
conforme sua etiologia e para auxiliar no diagnóstico com mais clareza é necessária a observação cuidadosa do padrão de tingimento e os sintomas apresentados. 
O tingimento da córnea periférica nas posições de 3
horas e 9 horas é um dos padrões mais encontrados, geralmente mais frequente em usuários de lentes RPG, mas um padrão semelhante pode ser visto nos usuários de lentes hidrogel. Esse tingimento tende a melhorar com a adaptação adequada da lente, com lubrificação suplementar ou com o piscar mais frequente do paciente.
Nas adaptações ajustadas, a lesão sempre é demarcada por retirada epitelial total quando a lente se comporta com sucção, conforme podemos observar na figura 3.
0001.png
Figura 3: Lente ajustada comportada com sucção

Quando a ceratopatia ponteada superficial de nível leve a moderado estão presentes no terço inferior ou na metade inferior da córnea, esta condição demonstra estar associada a síndrome do olho seco. O paciente se queixa de queimação, irritação e ressecamento. Neste caso, fatores ambientais como baixa umidade, vento, fumaça e poeira podem intensificar a ocorrência destes sinais e desconfortos. 
Ao se referir às causas mecânicas que podem manifestar a CPS estão os defeitos na lente como rasgos ou rachaduras, desidratação ou detritos aprisionados atrás da lente, como demonstra a figura 4.

00001.jpg
Figura 4: O tingimento superfical localizado com padrão pontilhado neste usuário foi causado por detritos presentes atrás da lente.

Para a definição da curva base de uma lente de contato e o diâmetro exato é preciso de equipamentos mínimos a fim de indicar uma lente de contato perfeita. Na figura 5 tem se a imagem de uma lente comercializada sem nenhum critério o que gera grande perigo e risco ao paciente. 

000001.jpg

Figura 5: Lentes de contato adaptada sem nenhum critério causando levantamento de borda e lesão conjuntival e de córnea. 

O epitélio pode ser lesionado durante a colocação ou remoção da lente. Caso seja detectada uma avaria na lente deve-se substituí-la imediatamente e, qualquer causa de detrito no filme lacrimal deve ser abordada. Cabe ao paciente também a tarefa de procurar ajuda do especialista em lentes de contato diante de qualquer alteração observada, tanto na lente quanto no olho, assim como as consultas periódicas para avaliar a adaptação e a sintomatologia. Ao profissional, cabe a constante observação de novas técnicas para melhorar a condição e qualidade de saúde visual do usuário de lentes. 

REFERÊNCIAS
BERGMANSON JP. Histopathological analysis of the corneal epithelium after contact lens wear. J Am Optom Assoc. 1987;58(10):812-8. 
BRUCE AS, BRENNAN NA. Corneal pathophysiology with contact lens wear. Surv Ophthalmol. 1990;35(1):25-58 
KEECH PM, ICHIKAWA L, BARLOW W. A prospective study of contact lens complications in a managed care set-ting. Optom Vis Sci. 1996;73(10):653-8. 
WATANABE K, HAMANO H. The typical pattern of superficial punctate keratopathy in wearers of extended wear disposable lenses. CLAO J. 1997;23(2): 134-7.

Professor Sergey Cusato Jr OD MSc Vis Sci, FIACLE, FIBTPLC, ALOCM
Diretor do Instituto Brasileiro de Treinamento e Pesquisa em Lentes de Contato. 
Membro do Bord da Academia Latino Americana de Ortoqueratologia e Controle da Miopía. F.I.A.C.L.E International Association of Contact Lenses Educators. 
MBCLA British Contact Lens Association. MCLSA Contact Lens Society of America. MSLS. Scleral Lenses Association, MOAA Orthokeratology Academy of America.






 

 

Área dos membros