CEGUEIRA GLOBAL E NO BRASIL
Professor Sergey Cusato Junior & Letitia Lamdin
cequeira, optometria, cegueira global, cegueira no Brasil
  • Facebook ...
  • Twitter ...
  • LinkedIn ...

Conteúdo do artigo

Este artigo tem como objetivo disseminar informações sobre cegueira e deficiência visual numa escala Global e no Brasil. Qual a situação ao redor do mundo? Qual o impacto provocado pela cegueira e deficiência
visual? Quais as estratégias para melhorias? Qual é o status no Brasil? O que fazer com essas informações?

O texto a seguir - sobre deficiência visual ao redor do mundo - foi tirado do texto “Cegueira Global: da London School of Hygiene & Tropical Medicine em conjunto com a Futuro.

Qual é o quadro geral: a epidemiologia de cegueira ao redor do mundo.
Oitenta por cento da cegueira global é evitável ou curável. Iniciativas ao redor do mundo, como a Vision 2020, têm como objetivo lidar com esse número. A categorização de cegueira e deficiência visual pela Organização Mundial de Saúde (OMS), baseada na acuidade visual (AV)
do melhor olho e apresentação visual, pode ser vista na Figura 1. De acordo com essa categorização, existem 285 milhões de pessoas no mundo com deficiência visual, sendo que destas, 39 milhões estão cegas (categorias 2 e 3) e 246 milhões têm visão reduzida (categorias 1 e 2). Do total, 90% são pessoas que vivem em países pobres ou em desenvolvimento, 80% têm mais de 50 anos de idade, 64% das pessoas que possuem deficiência visual são mulheres: isso porque elas vivem mais, têm menos acesso a serviços de saúde e possuem maior risco de desenvolverem certas doenças. Devido ao aumento da população mundial e de sua média de idade, esses números devem subir se nada for feito.

artigo 1.jpg
 Figura 1: Categorização da Cegueira

As causas de deficiência visual ao redor do mundo podem ser vistas na figura 2. Catarata e erros de refração são responsáveis por 75% do número total.

artigo 2.jpg
 Figura 2: Causas da cegueira no mundo.© 2015 London School of Hygiene & Tropical Medicine. This work is licensed under a Creative Commons Attribution Non Commercial Share Alike 4.0 International license.

Medidas de controle

As três grandes causas globais de cegueira que devem ser consideradas são: pobreza, aumento e envelhecimento da população. A pobreza é um fator de risco de cegueira porque impacta no acesso a serviços de saúde ocular. Isso é especialmente relevante para doenças oculares que podem
ser prevenidas ou curadas. Com a previsão de que a população global pode chegar a 10 bilhões até 2060, e de que a população com mais de 60 anos de idade aumente para 2 bilhões até 2050, com maior aumento em países pobres ou em desenvolvimento, isto vai gerar uma demanda alta por serviços de saúde dos olhos – particularmente em áreas pobres e rurais ao redor do mundo.
  O levantamento de dados epidemiológicos é essencial para a prática de medidas de controle. Existem três tipos de medidas de controle necessárias para três grupos causadores de patologias de deficiência visual, e as medidasde controle são:

• Fortalecer serviços e melhorar acesso, ou seja, melhorar oferta de serviços para catarata e erros de refração.
• Melhorar serviços de prevenção e intervenção para doenças focais que não podem ser tratadas nos estágios finais, como opacidades de córnea, tracoma e cegueira infantil.
• Triagem e serviços de identificação precoce de doenças crônicas, como o glaucoma e a retinopatia diabética. Pôr em prática estas três medidas de controle simultaneamente tem o potencial de reduzir o peso em serviços de saúde ocular e eventualmente erradicar a cegueira evitável,
eliminando assim 80% das deficiências visuais. 

Vision 2020: direito de enxergar 

“Vision 2020: direito de enxergar” é uma iniciativa global que se propõe a eliminar toda a cegueira evitável

artigo 3.jpg
Figura 3: Programa Vision 2020. © 2015 London School of Hygiene & Tropical Medicine. This work is licensed under a Creative Commons Attribution NonCommercial ShareAlike 4.0 International license


até 2020 e prevenir a duplicação de casos de deficiência visual que estão previstos para acontecer entre 1990 e 2020. A iniciativa foi lançada em 1999, com uma parceria entre a OMS e a Agência Internacional para a Prevenção da Cegueira (IAPB), com o objetivo maior de interromper
a duplicação prevista de números de cegueira global entre 1990 e 2020, e também de reduzir o número previsto de casos de cegueira para 2020 em até 100 milhões, como pode ser observado na Figura 3.

A Vision 2020 está concentrando esforços no fortalecimento de serviços contra catarata e erros de refração e na prevenção do tracoma, da oncocercose, da deficiência de Vitamina A e da cegueira infantil. O objetivo é:

• Desenvolver estratégias de controle relevantes e específicas e atingir metas traçadas.
• Desenvolver recursos humanos.
• Desenvolver infraestrutura e tecnologia.

Até agora, os resultados vêm mostrando impacto positivo no mundo. A média de cirurgias tem aumentado e as estratégias de prevenção estão mais fortalecidas. Mesmo com uma população maior em número e em média de idade (o grupo de pessoas acima de 50 anos aumentou em
18%), os números apresentados em 2010 mostram uma tendência de queda no número de cegueira global desde o início dos anos 2000, de 45 bilhões para 39 bilhões de pessoas cegas: uma queda de 10%, como pode ser observado na Figura 4¹.

artigo 4.jpg
Figura 4: Resultados estratégicos observados. © 2015 London School of Hygiene
& Tropical Medicine. This work is licensed under a Creative Commons
Attribution‐ NonCommercial‐ShareAlike 4.0 International license

A cura da cegueira tem correlação direta com o nível econômico e social de indivíduos e comunidade, assim como a qualidade de vida. Os resultados de um estudo econômico e de qualidade de vida de um grupo de pacientes submetidos à operação da catarata estão expostos abaixo (figuras 5 e 6).

artigo 5.jpg
Figura 5: Estudo econômico x cirurgia de catarata. © 2015 London School
of Hygiene & Tropical Medicine. This work is licensed under a Creative Commons
Attribution NonCommercial ShareAlike 4.0 International license.

artigo 6.jpg
Figura 6: Impacto da cirurgia de catarata na qualidade de vida. © 2015
London School of Hygiene & Tropical Medicine. This work is licensed under a
Creative Commons Attribution NonCommercial ShareAlike 4.0 International
license

Os próximos passos a serem tomados para que o objetivo final seja atingido devem levar em conta o conhecimento adquirido graças às conquistas recentes. Fatores importantes para tal são:

• Aumentar investimentos para o desenvolvimento de serviços de saúde ocular a nível nacional. Para isso, é preciso que campanhas de conscientização cheguem também a políticos, para que não vejam mais a cegueira como um roblema de baixa prioridade.

• Desenvolver recursos humanos:
- recrutamento e treinamento;
- retenção e motivação de equipes;
- remanejamento para áreas rurais;
- redução do desgaste de profissionais capacitados,
remanejando-os para países onde a remuneração é maior,
para grandes cidades ou para a iniciativa privada.

• Melhorar a qualidade e expandir o alcance de serviços
de saúde ocular, encorajando o uso por novos pacientes.

• Promover a Vision 2020 internacionalmente, incitando
interação entre organizações governamentais,
ONGs e profissionais da saúde de várias especialidades.
¹

Abordagem para saúde ocular universal

A abordagem para uma saúde ocular universal que foi adotada pela IAPB tem como definição garantir acesso a todos que precisam de promoção, prevenção, cura e reabilitação de serviços de saúde eficientes, enquanto também garante que a população não sofra dificuldades financeiras ao pagar por estes serviços.

artigo 7.jpg
Figura 7: fala de Margaret Chan – Diretora Geral. © 2015 London
School of Hygiene & Tropical Medicine. This work is licensed under a
Creative Commons Attribution NonCommercial ShareAlike 4.0 International license

A saúde ocular universal pode ser dividida em três tópicos importantes para a garantia de um sistema de saúde justo e forte:

• A oferta de serviços precisa estar disponível para todos, para pessoas de qualquer contexto social e raça, da cidade ou do campo, homem ou mulher, jovens ou velhos, deficientes ou isolados.

• A oferta de serviços precisa ser compreensiva e acessível para todo e qualquer problema de saúde ocular ou deficiência visual.

• Modelos de cuidados precisam estar alinhados com sistemas de saúde já existentes.

Os desafios criados por esta abordagem incluem o fim das barreiras de acessibilidade social e econômica para serviços de saúde ocular, expansão para áreas rurais e acesso à população mais velha. A igualdade é a chave para todas as iniciativas de saúde universal, e com planejamento e implementação cuidadosos, estes desafios podem ser superados. Modelos de serviços usados para garantir saúde ocular universal podem incluir programas de expansão, triagem, encaminhamento, expansão da oferta de cirurgias e/ou telemedicina.

Plano de ação global 2014-2019

Em maio de 2013, a IAPB divulgou as próximas etapas da Vision 2020 na forma de resoluções para uma saúde ocular universal: um plano de ação global de 2014 a 2019, com o principal objetivo de fortalecer sistemas de saúde, através de:

• Coleta de mais dados em escala local através de estudos de avaliação rápida e outros métodos de coleta; identificação de necessidades, prioridades, brechas e disparidades nas comunidades.

• Capacitação e distribuição apropriada de profissionais da saúde ocular e reforço de conhecimentos e capacitação para garantir excelência na prestação de serviços.

• Aumento na oferta de serviços para garantir prevenção, promoção, tratamento e reabilitação.

A IAPB quer eliminar a cegueira evitável e garantir que aqueles que já estão com a visão comprometida tenham acesso a seus direitos. Especificamente aumentar o acesso à saúde ocular, ainda mais para aqueles às margens da sociedade, e obter uma redução de 25% no número de pessoas cegas e com deficiências visuais. ¹

É possível atingir esses objetivos através de:

• Campanhas para influenciar políticas e sistemas de saúde. Implemento de decisões a nível global, nacional e regional;

• Aumento de conscientização, capacitação e habilidades;

• Promoção de parcerias entre grupos relevantes. ¹

A agência disponibiliza recursos nestas três áreas através do http://www.iapb.org/, para garantir segurança e apoio aos profissionais. 1,3

Situação atual no Brasil

Assim como em grande parte da América do Sul, evidências das causas de deficiência visual no Brasil são historicamente vagas, insuficientes ou incompletas. Além disso, o número de profissionais de saúde ocular, como estão distribuídos e o resultado do trabalho que fazem também
são desconhecidos em muitas regiões. O único dado do Brasil incluído nos estudos de avaliação rápida de cegueira evitável (RAAB) é uma pesquisa de 2003 feita com 2.400 pessoas em Campinas. Isso não deve representar outras áreas do Brasil, especialmente as mais pobres, de áreas menos populosas e de baixa educação. 

Por isso que as informações que temos são por vezes inconsistentes. Por exemplo, a tabela abaixo mostra dados de mapas de visão global que usam números de todo o mundo. Na tabela, os números levantados no Brasil vêm caindo desde 1990, tendência similar a de alguns países
desenvolvidos.

Tabela 1: Dados coletados no Brasil sobre a Cegueira
artigo 8.jpg

Entretanto, de acordo com o censo nacional de 2010, 6,5 milhões de brasileiros sofriam de alguma deficiência visual com base em uma população de 190,5 milhões. É válido ressaltar que não se sabe o que foi categorizado como deficiente visual nessa pesquisa, podendo não ser
utilizada a definição da OMS. De forma geral esse dado coloca o Brasil entre países com um maior número de DV (3,34 – 5,61%), assim como a China, Índia, o Oriente Médio e partes do sudeste da Ásia. De acordo com o Censo, isso significa que o número de pessoas no Brasil com alguma deficiência visual evitável seja de 4 a 5,2 milhões de pessoas, uma média alarmante de deficiências que poderiam ser evitadas ou curadas com os recursos certos, educação e acesso à saúde ocular.7,8
Há espaço para governos promoverem melhorias em escala nacional e regional, assumindo ainda mais a responsabilidade de enfrentar o problema de DV, reconhecendo- o como parte de uma agenda nacional de saúde. Na reunião mundial de saúde ocorrida em maio de 2013, o
plano de Saúde Ocular Universal foi divulgado e o CEO da IAPB, Peter Ackland, confirmou que “cada governo se comprometeu com o plano, assumindo a obrigação de tomar iniciativas”.14. Este plano pode ser visto no site da OMS.9. Isso cria uma oportunidade para que campanhas
de conscientização sejam feitas junto a governos para que possam enfrentar o problema com seriedade, abrindo diálogo entre políticos, profissionais da saúde ocular e ONGs, já que, atualmente, ONGs importantes de saúde da visão não conseguem trabalhar no Brasil, devido a burocracias e complexidades do sistema local.

A optometria tem sido, historicamente, uma profissão desafiadora de seguir no Brasil, mas tem sido mais fácil desde 2013, devido a uma mudança na lei. A Drª Susan Cooper, Presidente do Conselho Mundial de Optometria (WCO), afirmou: “estamos gratos pelo reconhecimento
que o governo brasileiro está dando ao papel importante para a profissão de optometria, na oferta de um sistema de saúde justo”. A capacitação é uma fase crucial na luta contra a deficiência visual. E o Instituto Brasileiro de Treinamento e Pesquisa em Lentes de Contato (IBTPLC), tem uma função-chave na capacitação de optometristas para que desenvolvam um papel com autonomia e de maior alcance, promovendo com isso um impacto positivo em suas comunidades.

Agora, todos os profissionais de saúde ocular podem ajudar no Plano de ação global e Vision 2020 no Brasil, auxiliando na erradicação da cegueira evitável e tornando a oferta de saúde da visão mais justa, compreensiva, acessível e parte integrante do sistema de saúde brasileiro, incluindo oftalmologistas, optometristas, enfermeiros e
profissionais comunitários de saúde ocular. Olhando para o futuro: o que nós, profissionais da saúde ocular no Brasil, podemos fazer para diminuir o número de deficientes visuais?

• Levantar informações para representar a população das áreas onde você trabalha: o link a seguir fornece o software necessário para tal. Complete uma breve consulta da pesquisa sobre cegueira evitável para a sua comunidade: http://www.cehjournal.org/resources/raab/12

• Faça campanhas junto a políticos, governos e ONGs locais usando o documento Saúde Ocular Universal: um plano global de ação 2014-2019, disponível no link a seguir, como recurso e base para as suas negociações: http://www.who.int/blindness/actionplan/en/9

• Promova a conscientização ao divulgar a causa para informar à população sobre deficiência visual e influenciar governos, ministérios e organizações de saúde para alocação de recursos necessários e educação de profissionais da saúde sobre a Vision 2020. O Dia Mundial
da Visão foi criado com esse propósito, e acontece, todo ano, na segunda quinta-feira de outubro. Visite o site da IAPB para mais informações: http://www.iapb.org/advocacy/world-sight-day. 13

• Fomente relações e planeje fundamentos para lançar programas locais de saúde ocular na sua comunidade, juntamente com outros profissionais da área, líderes comunitários e políticos locais. Para saber mais sobre
como expandir sua rede de contatos, você pode se inscrever no próximo Cegueira Global, curso gratuito da London School of Hygiene and Tropical Medicine, através do site da Future Learn: https://www.futurelearn.com/ courses/global-blindness14


1.jpg
Professor Sergey Cusato Junior OD, MSc Vis Sci, FIACLE, FIBTPLC e ALOCM
Optometrista Membro da Academia Latino Americana de Ortoqueratología
e Controle da Miopía.


000000 LETITIAAAAAAAAA.jpg
Letitia Lamdin
BSc (Hons) Optometry (Class 1st)The University of Cardiff UK. College
of Optometrists Registration Scheme (Pass on 1st attempt) UK. LOCSU
Glaucoma Training (Pass 2010) (FIBTPLC 2016)


REFERÊNCIAS

1. Global Blindness: Planning and managing eye care services © 2015 London School of Hygiene & Tropical Medicine. This work is licensed under a Creative Commons Attribution‐ NonCommercial‐ ShareAlike 4.0 International license.
2. World Health Organisation, Vision 2020 report, 2006-2011. [online] Available:http://www.who.int/blindness/Vision2020_report. pdf. [Accessed 13/05/2016].
3. IAPB, The International Agency for the Prevention of Blindness. [online] Available:http://www.iapb.org/. [Accessed 13/05/2016].
4. IAPB, Global Vision Database Maps, 2014, [online] Available: http://www.iapb.org/maps. [Accessed 13/05/2016].
5. Global Vision Database. 2014. [online] Available: http:// www.globalvisiondata.org/. [Accessed 13/05/2016].
6. Repository | RAAB Repository. Health Information Services. 2014-2016. [online] Available: http://www.raabdata. info/repository/?wpv_column_sort_id=post_date. [Accessed 13/05/2016].
7. Dia Mundial da Visão alerta para a prevenção da cegueira no País. Portal Brasil. 2012. [online] Available: http://www.brasil. gov.br/saude/2012/10/dia-mundial-da-visao-alerta-para-a-prevencao- da-cegueira-no-pais. [Accessed 13/05/2016].
8. IBGE. : Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. [online] Available: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/ censo2010/default.shtm. [Accessed 13/05/2016].
9. Universal eye health: a global action plan 2014–2019. WHO. 2013. [online] Available: http://www.who.int/blindness/actionplan/
en/. [Accessed 13/05/2016].
10. World Council of Optometry (WCO). World Council of Optometry celebrates victory for Brazil's optometrists. 2013. [online] Available: http://www.worldoptometry.org/en/news/regionnews- latin-america.cfm/brazil-update. [Accessed 13/05/2016].
11. IBTPLC Instituto Brasileiro de Treinamento e Pesquisa em Lentes de Contato. 2010 [online] Available: http://www.ibtplc.com.br/ [Accessed 13/05/2016].
12. Community Eye Health Journal » RAAB. Community Eye Health Journal RSS. 2015. [online] Available: http://www.cehjournal.org/resources/raab/. [Accessed 13/05/2016].
13. World Sight Day. Home. 2016. [online] Available: http://www.iapb.org/advocacy/world-sight-day. [Accessed 13/05/2016]. 14. Global Blindness: Planning and managing eye care services - London School of Hygiene & Tropical Medicine. FutureLearn.
2016. [online] Available: https://www.futurelearn.com/courses/global-blindness. [Accessed 13/05/2016].
 

Área dos membros