ENTENDENDO A FISIOLOGIA DA CÓRNEA / LENTES DE CONTATO
Prof. Sergey Cusato Jr Boptm MSPS,FIACLE,FIBTPLC,O
Córnea, Lentes de Contato, Adaptação
  • Facebook ...
  • Twitter ...
  • LinkedIn ...

Conteúdo do artigo

A córnea é uma estrutura que se origina do ectoderma superficial, sendo considerada a primeira e mais poderosa lente do sistema dióptrico do olho.
A córnea é uma estrutura que se origina do ectoderma superficial, sendo considerada a primeira e mais poderosa lente do sistema dióptrico do olho. Muitos autores define a córnea como "um tecido transparente e avascular, em contato com o ambiente externo, que corresponde ao sexto anterior da túnica fibrosa ocular".

A transparência da córnea é devido à sua estrutura uniforme, avascular e deturgescente. A deturgescência, ou o estado de relativa desidratação do tecido da córnea é mantida pela transparência celular ativa Na+ - K+ do endotélio e do epitélio ou pela sua integridade anatômica.

A córnea tem formato arredondado, é convexa na superfície anterior e côncava na posterior. A córnea está constituída por uma capa externa de células epiteliais em constante renovação, que se diferenciam para formar uma capa superficial de células não queratinizadas que interacionam com a película de lágrimas estabelecendo uma superfície óptica lisa.
 Anatomia e Fisiologia da Córnea
 
A córnea é a principal superfície refrativa do olho, apresentando um poder total de aproximadamente 42 dioptrias ou 70% do poder refrativo do olho, com índice de refração de 1.376. Sua principal propriedade é a transparência, assim como uma importante barreira ao trauma e infecção. Para se calcular o poder refrativo real da córnea é
preciso considerar que este sistema é composto de duas superfícies ópticas (faces anterior e posterior) separadas por uma distância entre elas (espessura) e de três meios ópticos (ar, córnea e humor aquoso) cada um com um índice de refração diferente).
 
A córnea é responsável por convergir os raios luminosos que vêm de fora e vão incidir na retina. Sua espessura é de 0,52 mm, no centro, e 0,65 mm na periferia. A parte central da córnea de um modo geral apresenta contorno esférico com raio de curvatura externo de aproximadamente 7,8mm sendo que a parte mais periférica é mais plana, radialmente assimétrica e mais espessa em relação a porção central.
No recém nascido, a córnea é relativamente grande, 10mm em sentido vertical.
Sua curvatura também é mais pronunciada, aproximadamente 51D, com uma espessura da córnea central de 0,585mm. Nos prematuros, o diâmetro da córnea é menor e sua curvatura mais pronunciada: na 34ª semana a media do diâmetro corneal é de 8,5mm e a curvatura corneal é de 52-53D. A córnea continua crescendo em
diâmetro e se aplaina com a idade, alcançando quase as medidas adultas depois do primeiro ano de vida. Em um adulto, o diâmetro médio normal da córnea é de 11,5mm. Em uma microcórnea apresenta um diâmetro inferior a 10,0mm e na megalocórnea um diâmetro de 13mm a 15mm. Analisada de frente, a córnea é ligeiramente elíptica, com um diâmetro horizontal de 11,7 mm e vertical 10,6 mm.

A fisiologia corneal está principalmente relacionada com as fontes de energia que abastecem a atividade metabólica corneal, a transparência corneal e sua manutenção. A córnea é protegida pelo aparelho lacrimal e através do filme lacrimal nutre a córnea, assegurando sua defesa contra infecções. As principais proteínas da lágrima são aquelas que estão presentes em quantidades de miligramos por mililitros (mg/ml): lizosima,
lactoferrina, B lisina, lipocalina, mucina. Apesar de ser um tecido avascular, a córnea se apresenta como
um tecido extremamente ativo. A nutrição da córnea ocorre por meio do filme lacrimal, da conjuntiva tarsal posterior das pálpebras e das arcadas vasculares (presentes no limbo - são ramos da artéria ciliar
anterior do humor aquoso).

O olho deriva de uma evaginação que se produz no diencéfalo, denominada vesícula óptica, que se comunica com o terceiro ventrículo, onde mais tarde surge uma capa de células do ectoderme superficial que a cobre. Mais tarde, e por migração de células da crista neural se formará o endotélio corneal, enquanto no estroma se inicia
a sintetização de fibras do colágeno que o formarão outra migração posterior de células mesodérmicas cedem espaço à formação dos fibroblastos corneais, conhecidos como queratócitos.

Na sequência, entre a sexta e oitava semana se inicia a formação das pálpebras, pois o epitélio corneal fica exposto ao líquido amniótico. A partir da oitava semana e até o quinto mês, as pálpebras estão fusionadas
e logo se abrirão. Durante todo esse tempo o epitélio corneal sofre grande quantidades de mudanças em sua estrutura e número
de células que o formam, até chegar em sua formação final.
A córnea continua crescendo em diâmetro e se aplaina com a idade, alcançando aproximadamente as medidas adultas depois do primeiro ano de vida. A córnea está composta de 78% de água, 15% de colágeno, 5% de outras proteínas, 1% de glicoaminoglicanos (GAGs) e 1% de sais.

A córnea é constituida de 5 camadas:

Eptelio
Membrana de Bowman
Estroma
Descemet
Endotelio

Quando temos a certeza do que estamos fazendo ou dizendo e conhecemos de fisiologia, temos a condição de trazer o bem estar para o paciente, normalmente trabalhamos mais tranquilos.
Um profissional reconhecido é um profissional bem remunerado sem importar a óptica, clinica ou qualquer empresa que trabalha. O reconhecimento vem de qualquer maneira, portanto, vamos nos especializar. Assim estaremos preparados para as grandes mudança que estão acontecendo na óptica brasileira..
 

Área dos membros